19 abril 2008

Sobre plágios

*
E sobre os plágios, eu te apoio qualquer que seja a
sua decisão. Quem copia assim, é gente menor. Menor em tamanho, em importância - e principalmente, menor em vida. É gente sem graça. Sem a graça da criação, sem a graça da vontade. Gente sem cheiro. Passa desapercebido, porque ninguém nota, porque cheiro tem que ser autêntico. Cheiro é como digital, retina (ou pupila?), marca de nascença - não existe nenhum no mundo igual ao seu. Nome a gente esquece, cheiro não. Não adianta usar o perfume dos outros. Quem faz isso, não existe para ninguém. Quem faz isso, só perde, fica menor ainda e um dia, some. E ninguém percebeu que sumiu. Triste, não? *
*

8 comentários:

Rui Eduardo disse...

BLOOOOOOOOOG!!!!!

Mani disse...

Sim, Nina, é muito triste...Tempos de relações fluidas diria meu marido...Um abraço.

Lih Figueiredo disse...

Oi Nina, esse negócio de plágio é um absurdo mesmo, é tão bom a gente repassar textos lindos e bem escritos com todos os créditos merecidos a quem realmente fez, mas infelizmente tem muitos pobrinhos de alma por aí que adoram roubar e assinar o nome embaixo, uma lástima...
Tenho lido vc no LV, aii me arrepiei com as palavras, mas sabe, se eu pudesse escolher um jeito de morrer, tbem gostaria de morrer assim, totalmente entregue ao meu amor...
Beijos.

Fal disse...

oi linda!!

nina disse...

rui,
é blooooooog ou blóóóóóóóg?
seja bem vindo

nina disse...

oi Mani,
hummm - 'relações fluidas'.... vou ter que pensar numa resposta, digamos... de laços consistentes?
bj grande!

nina disse...

lih,
eu te respondi por e-mail...
Percebi a dimensão da beleza da sua vontade quando vi que minha psicóloga estava com lágrimas nos olhos. Ela se emocionou com seu comentário, uma vontade primária e verdadeira. Eu precisava te dizer isso.
esteja sempre por perto!
bj

nina disse...

oi fal linda você também!