24 abril 2008

clipping

*

"Outro dia eu li na Folha que mulher é sempre dois. Homem pensa nele, homem existe por ele. Mulher pensa sempre nela e num outro junto, existe por ela e por um outro junto: o filho, o marido, os pais, os amigos, o cachorro, e se bobear ela pensa no outro primeiro e deixa de pensar nela, deixa de se cuidar para cuidar do outro.
Isso é da natureza feminina, cuidar, nutrir, doar, acolher, voltar-se para o outro. Mas, às vezes é uma fuga, pra não ter que pensar em si. E poder pensar em si é uma das qualidades mais poderosas do feminino
Agora, me diz se nos dias de hoje, dá pra gente ter esses momentos de reflexão, de aprofundamento, de recolhimento ? Nos dias de hoje o mundo funciona com uma dinâmica muito masculina, e a gente tem que se adaptar, respondendo às demandas disso, o tempo todo: tem que produzir, tem que ser eficiente, tem que ser rápido.....

E ao final de um dia, a gente sempre fica com a sensação de que não deu conta de tudo que tinha que dar, e sente mal consigo mesma. Tendo empregada ou não, tendo marido que ajuda ou não, tendo avós participativos ou não. No fim das contas, o buraco é mais embaixo. É um buraco que a gente não preenche, porque mulher é assim mesmo. Mulher sempre acha que tem que ser por dois."

e-mail de Mana-É, querida sister

*

4 comentários:

a_demarqui_a disse...

Breathtaking... as usual!

Nao desista da ideia deste blog... virei todos os dias para contempla-lo.

Grande beijo, ailton

nina disse...

ailton,
muito bom receber incentivo além mar.
faz um tempo que queria te escrever - estou trabalhando com a Márcia e o Fernando - Lima Pinheiro - recuerdas?
beijo
nina

Fal disse...

quilida, todo dia mim estar aqui. :o)
sua mãe é o maquéssimo.

nina disse...

fal, eu ainda vou me acostumar com esse seu vocabulário chiquetéssimo... se a minha mãe é, então a sua mãe também é...
bj!